Dora Lopes – Esta É Minha Filosofia, 1976

Dora Lopes. Cantora e compositora. Queria destacar o “compositora”, porque em grande parte de seu percurso, a composição brasileira foi uma atividade estritamente masculina. Aos 14 anos de idade, fugiu de casa com a intenção de ser cantora de rádio. Uma das primeiras cantoras assumidamente homossexuais da música brasileira. Sua voz é poderosa e marcante. Atuante desde o fim dos anos 1940, Dora elegeu o samba como via de expressão e conquistou picos de sucesso com suas composições na década de 1970. Morreu esquecida aos 62 anos, em 1983, sete anos após lançar esse LP. Continuar lendo

Zé Maria e seu Orgão – Tudo Azul, 1962

Disco clássico de sambalanço do pianista José Maria de Andrade Ferreira, mais conhecido como Zé Maria.

A maior curiosidade desse disco é que foi nele que Jorge Ben fez sua estreia como cantor e lançou duas das suas maiores canções, “Por Causa de Você Menina” e “Mas que Nada”. Continuar lendo

Trio Mocotó – Trio Mocotó, 1973

Terceiro álbum do trio formado por Nereu “Gargalo”, Luís Fritz “Escovão” e João Parahyba.

O Trio Mocotó foi um dos precursores do samba rock no Brasil e acompanhou Jorge Ben no auge de sua carreira, gravando grandes sucessos como “Que Pena”, “Domingas”, “Take It Easy My Brother Charles”, “País Tropical” entre outros. Continuar lendo

Brazil: Songs of Protest – Zelia Barbosa Sings of the Sertão & Favela, 1968

Este disco é uma reedição americana do clássico “Brésil: Sertão & Favelas” da cantora pernambucana Zélia Barbosa originalmente lançado na França em 1968.

Aqui, Zélia interpreta de uma maneira bem intensa (no estilo Maria Bethânia) canções que transformaram a música brasileira num veículo de expressão e contestação da situação do Brasil nos anos 60 e que continua fazendo sentido até hoje. Nas palavras dela: A música naquele momento não era só música. Era um movimento, era uma maneira de se fazer política, era protestadora, levantava a multidão e mexia com a Censura. Era a verdadeira Música Popular Brasileira.”
Continuar lendo

Leci Brandão – Questão de Gosto, 1976

Para falar sobre esse disco, precisamos primeiro contextualizar que Leci Brandão, além de ser primeira mulher a fazer parte da ala de compositores da Mangueira, foi a única mulher (lésbica) de destaque, na época, nos meios artísticos a assumir publicamente sua orientação sexual e pautar-se por uma conduta sempre engajada politicamente, seja como mulher, lésbica, negra, de origem humilde.

“Luto pelos ideais do meu povo através dos versos musicados. Meu trabalho é social. É político” Continuar lendo

Elis Regina – Samba, Eu Canto Assim!, 1965

Quinto álbum de estúdio da cantora e o primeiro a ser lançado pela Philips, uma das maiores gravadoras da época e onde Elis permaneceu por longos anos. Digamos que foi seu primeiro disco de gente grande. Além dela estar no auge da sua carreira quando esse disco foi lançado, ele conta com composições de grandes nomes como Edu Lobo, Carlos Lyra, Marcos Valle, Vinícius de Moraes e Baden Powell. Continuar lendo

Chico Anysio e Arnaud Rodrigues – Azambuja & Cia, 1975

Trilha sonora do programa “Azambuja & Cia” que foi ao ar pela Rede Globo em 1975. Escrito por Arnaud Rodrigues e dirigido por Mário Lúcio Vaz, os quadros mostravam as aventuras de Azambuja, malandro de Del Castilho, subúrbio do Rio de Janeiro, muito bem interpretado por Chico Anysio e capaz dos maiores trambiques para se dar bem. Aplicava golpes em todo mundo, mas no final sempre dava errado. Seus bordões, como “Estou contigo e não abro!” e “Arrebenta a boca do balão”, acabaram virando gírias em todo país até os dias de hoje. Continuar lendo

Grupo Medusa – Grupo Medusa, 1981

Esse é o primeiro dos dois discos lançados pelo grupo que reunia uns dos melhores nomes da música instrumental brasileira como Amilson Godoy (piano), Heraldo do Monte (guitarra, bandolim e violão), Cláudio Bertrami (baixo) e Chico Medori (bateria e percussão).

Continuar lendo

Robson Jorge e Lincoln Olivetti – Robson Jorge e Lincoln Olivetti, 1982

Robson Jorge e Lincoln Olivetti são peças importantes para entendermos melhor a música brasileira da década de 70 e 80 principalmente. Juntos fizeram arranjos, composições e participações em discos de artistas como Tim Maia, Gilberto Gil, Jorge Ben,Gal Costa, Tony Bizarro, Roberto Carlos, Erasmo Carlos, Sandra de Sá, Ed Motta e muitos outros. Continuar lendo